Relatório & Contas 2012

Uma Rede em Evolução

“A nossa Empresa está prestes a entrar

 numa nova e emocionante etapa da sua vida.”

Caros_acionistas

O ano de 2012 foi o mais difícil para a zona do euro desde a crise financeira de 2008. A divisão entre países centrais e periféricos, no que diz respeito ao acesso ao financiamento e às respetivas despesas, permaneceu significativa durante a maior parte do ano, especialmente durante o primeiro semestre. No segundo semestre, a disparidade começou a atenuar-se, mas a recessão alastrou a praticamente todos os Estados-membros da União Europeia, incluindo a Alemanha.

Em Portugal, a recessão provocou o aumento contínuo do desemprego e uma contração na atividade económica. O sinal mais positivo foi a reorientação da oferta e da procura para bens e serviços transacionáveis, que resultou no primeiro saldo positivo da balança de bens e serviços em décadas.

A recessão e a crise financeira provocaram uma nova redução na procura de energia em 2012, apresentando Portugal, atualmente, um consumo de energia inferior ao registado em 2006.

A REN tem um modelo de negócio relativamente sólido face a alterações na procura de energia, pelo menos no que diz respeito ao curto e ao médio prazos. No entanto, não foi totalmente imune à recessão. A necessidade de novas infraestruturas de gás e eletricidade apresentou um abrandamento significativo que se traduziu numa considerável redução 
do nosso investimento em comparação com 2011.

O bom desempenho operacional da REN permitiu aumentar o seu resultado líquido apesar do agravamento no custo da dívida. O EBITDA continuou a apresentar um forte crescimento (+8,9%). Tal reflete vários fatores, mas realço a reação positiva da REN aos desafios de eficiência colocados pelo quadro regulatório em vigor, assim como à forma rápida e eficiente com que vários projetos importantes foram concluídos e entraram em exploração. O comportamento do EBITDA também reflete o aumento na taxa de remuneração média dos ativos regulados de eletricidade, em parte ligado ao aumento das taxas de juro.

O resultado financeiro registou uma deterioração de 32,7 milhões de euros, refletindo as condições cada vez mais difíceis dos novos financiamentos, assim como o impacto em diversos empréstimos da dívida na notação de rating da Empresa. Tal foi o caso, em particular, da emissão de obrigações a cinco anos de 2008, que continha cláusulas de progressividade (step-up) que se tornaram efetivas após novembro de 2011.

Entre os projetos concluídos em 2012, a expansão do terminal de GNL destaca-se como um marco para a segurança do abastecimento de energia e para a diversificação das fontes de gás natural.

O ano de 2012, além de ter demonstrado a resiliência da REN perante condições macroeconómicas adversas, também foi
o ano em que a REN se tornou uma empresa privada. Em maio de 2012, a Parpública vendeu 40% do capital social da REN à State Grid Corporation of China (25%) e à Oman Oil Corporation (15%). O Estado Português reteve 11%.

O sucesso desta transação permitiu à REN obter uma base de acionistas reforçada e mais diversificada. A State Grid é a maior utility do mundo, conferindo à REN uma perspetiva global, assim como um forte apoio financeiro, ao mesmo tempo que acrescenta certas valências de conhecimento tecnológico. A Oman Oil, sendo um investidor financeiro internacional em empresas energéticas, também constitui uma mais-valia para a nossa capacidade e visibilidade global.

Por tudo o que referi, a nossa Empresa encontra-se agora em melhor posição para a próxima etapa do seu desenvolvimento. As concessões em Portugal continuarão a ser a nossa principal aposta e a maior fonte de criação de valor para os nossos acionistas. Além de prosseguirmos com a melhoria contínua da eficiência nas principais concessões, iniciaremos o desenvolvimento de novas fontes de criação de valor fora de Portugal. As mesmas competências que nos permitiram alcançar níveis recorde de qualidade de serviço e de continuidade do fornecimento em 2012 serão utilizadas para aumentar ainda mais a eficiência das nossas operações em Portugal e para iniciar a exportação de algumas dessas capacidades técnicas. A nossa Empresa está prestes a entrar numa nova e emocionante etapa da sua vida. Reconhecendo os limites da criação de valor no mercado doméstico, definimos a eficiência operacional como uma prioridade absoluta em Portugal e o desenvolvimento de novas oportunidades de negócio além das concessões existentes como uma forma de avanço na procura de fontes adicionais de criação de valor. A REN continuará a crescer, mantendo-se concentrada nas suas principais competências: planeamento, construção e operação de sistemas de transmissão de energia.

Temos consciência da importância que o dividendo da REN representa para o rendimento dos acionistas. Nos próximos anos, os nossos acionistas continuarão a usufruir de um elevado e estável dividendo, como foi claramente (re)definido na apresentação ao mercado do Plano Estratégico, durante o Dia do Investidor da REN.

Os colaboradores da REN são o bem mais valioso da Empresa. Fortes capacidades técnicas e uma cultura de trabalho em equipa representam a base do nosso compromisso com a qualidade elevada e o fornecimento ininterrupto a todos os utilizadores das nossas infraestruturas. Em 2012, não tivemos qualquer interrupção, nem na eletricidade, nem no gás natural.

Continuámos a investir na integração da sustentabilidade nas nossas atividades do quotidiano, promovendo o envolvimento de todas as partes interessadas e acompanhando o desenvolvimento das comunidades onde trabalhamos. Estamos orgulhosos por ver que o nosso empenho na transparência, melhores práticas e desenvolvimento sustentável é reconhecido publicamente, tanto em Portugal como internacionalmente. Continuaremos a apoiar ativamente o Global Compact das Nações Unidas e a incentivar todos os nossos parceiros a promover o desenvolvimento sustentável nas suas atividades.

No que diz respeito ao governo societário, o Conselho de Administração da REN empenha-se na adoção de medidas que possam melhorar o nosso desempenho, o que foi comprovado em 2012 pelo facto de termos alcançado o primeiro lugar da lista de empresas portuguesas cotadas em bolsa que melhor cumprem as recomendações de governo societário.

Gostaria de agradecer à Comissão de Auditoria da REN pela sua valiosa contribuição e aconselhamento.

Este foi um ano difícil, mas também um importante ponto de viragem para a REN. Temos orgulho no que alcançámos e aguardamos com expetativa a chegada de novos desafios. Agradeço aos colaboradores da REN pelo seu trabalho e aos nossos acionistas e parceiros de negócios pela confiança e apoio contínuos.

 Assinatura

Rui Cartaxo

Presidente do Conselho de Administração e da Comissão Executiva

02. Perfil

Print | Centro de downloads